02 março, 2012

Meliponicultor de Apartamento...

Dizem-me alguns apicultores, que vivem em grandes centros urbanos, longe do campo, que contam as horas para o fim de semana e se fazerem à estrada que os leva às queridas abelhas.

Em alternativa, quem não gostaria de se recostar confortavelmente no sofá da sala, a tomar um café ou um whisky, comando da televisão para fazer zapping e periódicamente ir “deitando o olho” ao apiário... ali mesmo ao lado? Sim, ao lado da televisão, porque não?

Meliponicultor de Apartamento

Por Kalhil Pereira França
Meliponário do Sertão – RN - BRASIL

Algumas pessoas são viciadas em jogos de azar, bebidas, cigarro e até em drogas mais pesadas. Eu também sou um viciado, mas não é em nenhuma porcaria dessas aí descritas acima. Na verdade, meu vício é criar Jandaíras, minhas queridas abelhas sem ferrão do sertão.

Mas esse vício é legal, é um prazer que não faz mal nem a mim, nem a ninguém. Pelo contrário, faz é bem. Além de relaxar toda vez que vou manejá-las, sinto nesses momentos uma enorme satisfação pela atividade.

Elas são exemplos vivos da constante presença em nossas vidas do Grande Arquiteto Do Universo. O seu trabalho incansável e sua dedicação exclusiva à família são demonstrações que a vida em união e harmonia são princípios fundamentais do Criador.

Porém, como todo vício, tenho que ser constantemente abastecido desse hábito peculiar e, muitas vezes, estranho pra muita gente. Pois, afinal, não é todo mundo que compreende nossas paixões não é verdade?

Sendo assim, como um viciado que se preza, tenho que está constantemente em contato com as minhas queridas abelhas. Assim, mesmo morando em um apartamento, resolvi montar discretamente um meliponário na varanda. A idéia não é minha, afinal eu já postei aqui alguns malucos que fazem isso pelo Brasil à fora, e pior, com grande sucesso.

Algumas pessoas podem achar que isso não dá certo, mas podem acreditar, dá sim. Atualmente estou mantendo 15 colônias no apartamento. Mandei fazer uma prateleira de ferro especialmente desenhada para isso, pois como todo condomínio, não posso ultrapassar a linha imaginária da varanda. Mas bem que dá uma vontade de lotar aquilo tudo até o teto de abelhas...rsss...

Todos os dias, antes de sair para o escritório, assisto o Bom Dia Brasil com minha velha xicará de café/leite acompanhando a movimentação intensa das garotas chegando em suas ilustres residencias com muito pólen nas patas.

Meu bairro tem muitas fruteiras que nessa época do ano proporcionam uma grande abundância de alimento. Olha, criar abelhas em apartamento é mil vezes melhor do que criar um cachorro, ou mesmo um gato. Não dão nenhum tipo de trabalho.

Primeiro por que as abelhas não fazem barulho, não sujam, não precisam de ração, não precisam de água, etc, etc, etc... Não precisam de nada. Na verdade, eu é quem preciso delas, pois a final sou viciado né! rs...

Dessa maneira tenho mantido minhas crises de abstinência sob controle, pois agora posso, mesmo sem um quintal, manter minhas Jandaíras bem próximas de mim. Não é o ideal, mas é o possível dentro de minhas limitações físicas.

Essa marvilhosa dose diária de meliponicultura logo cedo é um ótimo estimulante. Assim consigo esperar o final de semana chegar para ir aos meliponários na zona rural que, logicamente, são bem mais populosos. Está aí a dica, mesmo morando nas alturas, podemos criar nossas abelhas sem ferrão.

Mossoró-RN, em 28 de fevereiro de 2012
.

Kalhil Pereira França
Meliponário do Sertão

À minha questão sobre a confusão gerada pelas luzes da casa, a televisão, etc, quando criamos tais abelhas dentro de casa, o Kalhil respondeu-me que:

“...com relação as luzes, não há nenhum problema, as abelhas dessa espécie são muito tímidas, e mesmo com todas as luzes ligadas não saem depois das 17:30h. O único cuidado é evitar que as luzes da varanda fiquem ligadas durante toda à noite, pois aí sim elas acabam saindo muito cedo e ficam batendo na luz. De resto é só colher mel in natura diretamente dos potes para tomar no café!”

2 comentários:

Anónimo disse...

Boa noite. Ganhei uma colméia, montada em uma estrutura se madeira, uma "casa" daquelas abelhas bem pequenas, que não tem ferrão. Não veio qualquer informação de quem a fabrica, quando e como retirar o mel, nem como que fazer depois de extraí-lo.Não encontrei na internet qualquer auxílio. Pode me ajudar?
Boas Festas
Hélbio

Meliponário do Sertão disse...

Entre em contato comigo ou nesse blog abaixo, pois há muita informação a respeito da atividade.

att,

Kalhil

www.meliponariodosertao.blogspot.com