16 julho, 2010

Apicultura na Serra da Estrela

Há muito que trocava mails com o Ricardo de Jesus, acerca da apicultura e sobretudo da sua criação de rainhas. Durante esse tempo o Ricardo falava-me das características apícolas da Serra da Estrela, mas só o pude visitar aquando do segundo aniversário do Forum de Apicultura, em Seia no dia 22 de Maio de 2010.

Tem o apiário na Senhora do Desterro – S. Romão, Concelho de Seia, um local muito agradável, a meia encosta, com pinheiros e carvalhos a emoldurar as colmeias.
Abrimos umas quantas caixas, bem povoadas, onde o Ricardo, orgulhoso, me mostrou algumas rainhas marcadas e com muito bom aspecto, a prová-lo estavam os quadros cheios de criação.

Desde há alguns meses que optou por criar as suas próprias rainhas, tendo construído uma Colmeia Criadeira Horizontal para o efeito:

A colmeia “funciona” com duas câmaras laterais com rainha e uma câmara central, isolada por grades excluidoras de rainhas, onde coloca o quadro porta cúpulas. O princípio deste método baseia-se no fornecimento constante de amas que acedem à câmara central a partir das colmeias laterais. Desta forma é possível produzir rainhas continuamente.

A possibilidade de colocar alças e produzir mel nas câmaras laterais (com rainha) é outra das vantagens deste método, basta para tal que se construam tampos independentes.

Uma vez produzidas as rainhas, entra “em cena” outro equipamento construído pelo Ricardo: um nucléolo de fecundação com seis mini-quadros, sendo um deles um quadro alimentador:

Segundo o apicultor, este nucléolo apresenta uma boa funcionalidade. E de facto, nada podia ser mais verdadeiro: uma jovem rainha recem fecundada fugia apressada sobre o quadro.
Porque digo “recem fecundada” se nem sequer tinha postura?
Resposta: A rainha ainda trazia consigo os “despojos” do acasalamento, o aparelho sexual do zangão encontrava-se na parte terminal do abdómen da abelha, como prova da sua nova condição de fecundidade.

Nunca tinha presenciado tal facto, apesar de muito ter lido e ouvido sobre o assunto…

19 comentários:

João disse...

Boas!
Reparei que na rainha marcada de azul tinha o numero 2 como o conseguem fazer e para que serve?
Cumprimentos João Tavares

Alien disse...

Olá João Tavares,

Há quem opte por adquirir cartões numerados que se aplicam no tórax da rainha "colando-os" com uma gota de cola (adquirida no kit) ou com uma gota de verniz.
A cor do cartão corresponde ao ano (codigo de cores convencionado) e o numero corresponde às anotações do apicultor (tipo numero de "série") da rainha.

JPifano

Abelha Preguiçosa disse...

Não se deve poupar nas abelhas amas porque nunca são demais, e com 2 rainhas essas larvas devem ficar mesmo bem alimentadas!

Vivam os Ricardos! ;)

octávio disse...

Parabéns Ricardo!
Excelente trabalho com os correspondentes resultados.
Fazer certos elementos para o nosso espólio apícola e, verificar que funcionam na perfeição, dá outro gozo!
Parábens Joaquim Pífano; pois está provado, demonstrado, concluído, etc.etc. que este blogue, dá alma à imaginação, porque nele existe sentido de inspiração aproveitado por muitos e que sentem, aqui, o local ideal para partilhar experiências em harmoniosa partilha na evolução do conhecimento apícola.

Anónimo disse...

boa noite

gostava de saber se as grades excluidoras que o sr Ricardo colocou na colmeia se são inteiriças e se ocupam a largura toda da colmeia.

parace-me uma boa ideia mas gostava de saber mais pormenores.

cumprimentos

João

Alien disse...

Olá João,

Creio que as grades excluidoras do Ricardo ocupam todo o separador (ou quase?), pessoalmente estou a construir uma em que a grade é apenas uma faixa de 10 a 15 cm posicionada mais ou menos a meio de cada separador e na horizontal.
Vamos aguardar pela resposta do Ricardo.
Abraços,
JPifano

Anónimo disse...

Antes de mais deixar um grande abraço ao amigo Pifano que me fez esta enorme supresa a quando de uma visita de apenas 5 minutos, nem eu próprio me passou pela cabeça que em apenas 5 minutos no meu único e humilde apiário poderia haver “matéria” para se fazer uma pequena reportagem.
Deixar também um grande abraço ao Homem João Pires, ele que me entusiasma sempre em momentos menos bons da minha actividade apícola e que em caso de complicações me da “dicas de gás” para resolução imediata dos problemas.
Depois de dar este abraços a quem realmente merece na apicultura portuguesa, vamos ao que nos interessa.
Sobre a questão colocada da criadeira, só coloquei grade excluidora de ambos os lados com a medida de 20cmx20cm. Chega perfeitamente, mas também já as vi com excluidora completa e com faixa de 10 a 15cm como diz o amigo Pifano.
Creio que aqui fica mesmo ao critério do apicultor, resulta na mesma.
Abraço,
Ricardo Jesus

octávio disse...

Amigos!

O Mestre Pífano vai juntar-se ao grupo dos que gostam de trabalhar com madeira!

Estamos todos de parabéns!

Os ditos "construtores" carpinteiros que se cuidem, porque vão sair deste blogue autênticos modelos a adoptar na apicultura portuguesa.

Não importa se há mais ou menos habilidade de cada um, se o objecto está ou não mais bonito do que o do parceiro, mas! importa sim os resultados práticos do comportamento das nossas amigas e o correspondente alcance dos objectivos a que nos propusemos.

Um Abraço a todos,

Alien disse...

Olá Octávio,

De facto já pareço um "raio" a pregar pregos... não acerto duas vezes no mesmo sítio. :-)
Mas que vou tentar, isso vou...
abraços
Pifano

Anónimo disse...

Octávio, eu e tu a pregar já se sabe ne! Pelo menos vê-se pelas minhas fotos apresentadas no blog.
Mas o Pifano deve-se uma obra de arte a martelar.
Estou de acordo com o Octávio, não importa a perfeição, se temos maneira boa ou má, pouco ou muito dinheiro o que interessa é que de facto consigamos fazer com que a n/ actividade apícola melhore.
Abraço,
Ricardo Jesus

carlos disse...

boa tarde..
Há umas coisas que eu não percebo bem.
Quando devemos colocar a rainha no nucleo de fecundaçao?

Alien disse...

Olá Carlos

pode faze-lo de uma forma mais segura enquanto alvéolo real, ou após a eclosão da rainha virgem.

Anónimo disse...

boa tarde
Eu sou um pouco leigo nesta matéria...
Eu estou a pensar adquirir uma criadeira de 15 quadros.

Se eu colocar um quadro com ovos na parte dos 5 quadros e deixar que uma nova mestra nasça ai, tenho de fechar a passagem as abelhas da restante colmeia? ou posso manter a passagem aberta até que a nova mestra inicie postura?
abraço
Rui Santos

Alien disse...

Olá Rui,

Não necessita de isolar a passagem de abelhas, ha quem use colmeias com duas rainhas separadas por grade excluidora.
Mas se o objectivo é fazer uma segunda colónia porque razão não coloca esses quadros num núcleo ou noutra colmeia individualizada?

abraço
JPifano

Anónimo disse...

Mas posso esperar que a rainha nasça para passar os 5 quadros para uma nova colmeia? ou devo passar os quadros ainda com alvéolos reais?
cumps
Rui Santos

Anónimo disse...

E eu gostava de começar a marcar as minhas rainhas para as identificar mais facilmente, mas não percebo muito da matéria.Alguem me pode ajudar?
cumps
Rui Santos

Alien disse...

se se trata apenas de passar os quadros para uma caixa vazia pode fazê-lo em qq altura, com rainha ou com alveolos reais

Anónimo disse...

Relativamente a esta inovação maravilhosa só me resta questionar se as entradas superiores das pranchetas poderão ficar abertas (sem tampas) ou deverão ser fechadas já que poderá poderá permitir a deslocação das rainhas de um lado para o outro e assim poderem entrar em conflito.
Obrigado

ricardo jesus disse...

Tem de ter pranchetas em separado ou seja tres. As rainhas nao podem ter contacto. Abc