26 fevereiro, 2013

Biodiversidade e Apicultura em Castelo Branco

Simpósio Nacional Biodiversidade e Apicultura


Organizado pelo Instituto Politécnico de Castelo Branco, evento que pretende realçar a importância dos polinizadores no equilíbrio ambiental e na economia agrícola.

Um pormenor muito estranho, senão insólito, a comunicação sobre o Projecto Operation Pollinator – Syngenta, o que sem ser o fim da produção de plantas transgénicas cujos efeitos na apicultura/polinizadores nos fazem temer o pior, não sei que outra informação interessante tal entidade possa trazer aos apicultores.

Talvez possam explicar-nos as razões pelas quais os OGM’s por eles criados são proibidos no país de origem (Suiça), sendo livremente utilizados em Portugal, país de oportunidades… 


Muito a propósito:


1500 Colónias de Abelhas morrem em Campeche – Yucatan – México.
Muitas culturas OGM foram projectadas para produzir os seus próprios insecticidas, como a toxina “Bt”, enquanto outros foram criados para suportar grandes concentrações de herbicidas como o Roundup. Ambos tiveram consequências devastadoras para os polinizadores como as abelhas.
Na última semana, 1500 colónias de abelhas foram destruídas em Campeche, México, por causa de fumigações levadas a cabo pela Monsanto em culturas de OGM próximas:


Isto provocou um impacto directo em mais de 50 famílias necessitadas, que recentemente também sofreram grandes perdas na produção de milho por causa da seca. A comunidade confiava na venda de mel orgânico para compensar as perdas na produção do milho, no entanto, também o mel das colónias mortas ficou inutilizado por causa das contaminações com pesticidas e pólen transgénico.
Álvaro Mena, um agricultor maia de Hopelchen e membro da Plataforma de Defesa do Milho, estimou perdas de cerca de 10 milhões de pesos, o equivalente a um ano de produções de milho e de mel para essa comunidade.

As fumigações foram mais intensas nos locais onde se encontravam as culturas OGM. Os OGM são conhecidos pela sua resistência aos pesticidas e apresentam-se sempre em grandes áreas de monocultura, onde se aplicam grandes quantidades de Roundup.

Não é por acaso diz Mena (acerca da elevada mortalidade de abelhas), é o ataque tóxico que vem com as culturas OGM e a ameaça motivada pela permissão de plantarem milhões de hectares de milho geneticamente modificado.

Mena assistiu ao debate em que os responsáveis não compareceram e que começou com o seu testemunho sobre as culturas OGM. Milhares de pessoas mostraram-se interessadas em participar no debate sobre o milho transgénico, num auditório da Faculdade de Ciências, organizado por diversas redes, entre as quais o Movimento Popular Urbano YoSoy 132 Ambiental Via Campesina e a Plataforma em Defesa do Milho.
As autoridades oficiais convidadas para o debate (Ambiente, Agricultura e a Comissão Interministerial de Biossegurança e Organismos Geneticamente Modificados – Cibiogen) não compareceram  à reunião com as organizações sociais e cientistas visitantes. As duas secretarias afirmaram não ter nenhuma posição sobre o assunto.

Actualmente existem milhares de hectares de campos experimentais de milho transgénico no México. Foi referido que a Cibiogen alegou indisponibilidade de tempo para estar presente no dia do debate.

(…)
Saiba mais em:

2 comentários:

Lillia disse...

OGM, Pesticidas, alteraçao d'ambiente.. E sem falar dos apicultores que tocam n'a genetica das abelhas ao fazer raças cruzadas que sao muito menos "fortes"..

Lillia disse...

OGM, pesticidas, alteraçao ambiente etc... E apicultores que cruzam raças de abelhas, tornando-as mais fràgéis..