30 janeiro, 2011

Nucléolos de Fecundação de Rainhas adaptados de Colmeia Reversível

A ideia não é nova, mas interessa sobretudo do ponto de vista prático e económico.
Para transformar uma colmeia reversível, ou outro modelo qualquer, em nucléolos de fecundação de rainhas, bastam duas tábuas, réguas para os quadros e uma prancheta com quatro orifícios. Esta colmeia foi feita por um associado da ADERAVIS há uns anos atrás.

O mais difícil terá sido decerto a concepção dos mini - quadros, principalmente a forma de os encaixar num quadro de dimensões normais para que a cera fosse “puxada” numa colmeia activa.

Neste caso utilizou-se uma pequena tábua embutida entre os dois quadros e fixa com arame, para evitar que as abelhas os unissem com favos. Não parece ser o método ideal, mas “desenrascou” muito bem.

Os quadros, tal como as saídas/entradas de cada divisão (nucléolo) estão orientadas para direcções diferentes para evitar que as rainhas sofram desvios com as consequentes lutas e mortes. Para o mesmo efeito, também a parede exterior correspondente a cada entrada/saída tem uma cor diferente. As cores aqui apresentadas poderão não ser as melhores em termos de contraste visual das abelhas, mas também se pode fazer a distinção com sinais e outros desenhos.

Este pormenor faz com que as colmeias/nucléolos não possam obviamente ser dispostas num apiário linear, pois criaria uma grande confusão e acabava por originar desvios. O ideal é colocar as colmeias desordenadamente num local abrigado e soalheiro.

Creio ser essa a principal desvantagem do método, pois para uns ficarem com uma exposição óptima, as do lado oposto ficam com as piores orientações: Norte e Oeste…

A utilização de uma prancheta modificada com quatro orifícios de alimentação só trás vantagens, na medida em que permite alimentar cada colónia separadamente evitando pilhagens e outros conflitos.

Quem quiser evitar os custos, trabalhos e problemas de armazenamento dos nucléolos de fecundação pode valer-se deste sistema. E se a habilidade permitir fazer todas estas alterações de uma forma reversível, fazendo jus ao modelo da colmeia utilizada, será mesmo o ideal.

Mais publicações sobre Nucléolos de Fecundação no montedomel:

Nucléolos de Fecundação e Estágio de abelhas rainhas
http://montedomel.blogspot.com/2009/02/nucleolos-de-fecundacao-e-estagio-de.html

Construção de um Nucléolo de Estágio/Fecundação de abelhas rainhas
http://montedomel.blogspot.com/2009/02/construcao-de-um-nucleolo-de.html

Nucléolos de Fecundação para Quadros de Alça
http://montedomel.blogspot.com/2009/03/nucleolo-de-fecundacao-para-quadro-de.html

Quadros Articulados para Nucléolos de Fecundação
http://montedomel.blogspot.com/2009/08/criacao-de-rainhas-quadros-articulados.html

Alimentadores para Nucléolos de Fecundação
http://montedomel.blogspot.com/2009/09/novos-alimentadores-para-nucleolos-de.html

3 comentários:

Abelha Preguiçosa disse...

Olá!
Construí já há bastante tempo uma coisa parecida mas nunca utilizei por sintir que há coisas que devo aprender antes, as abelhas são umas complicadas e muito boas segredeiras!
Mas se me é permitido apontar algo à construção aqui em causa, eu aponto a prancheta, que me parecia melhor se fosse individual para cada divisão da caixa.
Não era difícil de fazer, com um pouco de plástico fléxivel ou rede, fixo de um dos lados em cada divisão. Isto permitia inspeccionar cada nucléolo individualmente, e talvez haja essa necessidade, não?

Alien disse...

Olá Ricardo,

Concordo contigo, de facto as pranchetas individualizadas decerto seriam mais funcionais.

Não faço ideia do uso que o apicultor tem dado aos nucléolos, mas na troca de mails com um amigo apicultor concluimos que uma boa utilização deste conjunto poderia ser o albergar de pequenos enxames (garfas) até à fecundação da respectiva rainha. Sem necessidade de mobilizar uma comleia grande (ou mesmo um núcleo) para o efeito...

Anónimo disse...

As minhas saudações apícolas!
Barato e fácil- tive a sorte de apanhar no lixo uma quantidade enorme de placas de poliuretano dessas de isolamento de telhados com 3 cm de espessura. Com um molde de platex e uma lâmina afiada tenho-as cortado com a medida aproximada dos núcleos de esferovite e aparafusado.
Vamos ver se resulta e se as abelhas não os roem.
Um abraço.
Abelhasah.